Pai ouve voz da filha pela primeira vez aos 35 anos, após receber implante no DF

24/11/2017

Ele teve meningite com 1 ano e 8 meses e ficou com surdez profunda nos dois ouvidos. Educador físico, homem conseguiu aprender a ler, escrever e falar após fonoterapia. Médico diz que plano de saúde e SUS bancam procedimento.


Fonte: g1.globo.com


Após aplicar implante, paciente surdo ouve pela primeira a voz da filha e se emociona

O educador físico Eduardo Favaro começou na última sexta-feira (17) a fazer aquilo que é rotineiro para muitos pais e que até então para ele era sonho: ouvir, pela primeira vez, a voz da filha. Morador de Brasília, ele teve meningite com 1 ano e 8 meses e sofre de surdez profunda nos dois ouvidos desde então. O homem, que tem 35 anos, decidiu ignorar os médicos que diziam que o caso era irreversível e há um mês recebeu um implante coclear.

A experiência de ouvir a filha, Maria Eduarda, de 6 anos, pela primeira vez foi registrada em vídeo e viralizou na web. Ele também ouviu a mãe e a mulher. Na gravação, Favaro se empolga ao perceber o som do coração. "Pode aumentar um pouco!", diz.

Pai e filha emocionados após teste com implante coclear em Brasília (Foto: Reprodução)

O rapaz conta que, como não havia surdos na família, sempre teve vontade de ouvir como os familiares. Ele passou por uma série de tratamentos na infância e aprendeu a ler, escrever e falar, mesmo tendo quase nada da audição. Favaro conta, porém, que isso não o contentava.

"Mesmo depois de várias tentativas em alguns centros especializados em audição e tendo resposta de que não teria possibilidade no meu caso, eu não perdi a esperança", conta. Por causa da meningite, ele desenvolveu ossificação na parte interna do ouvido, e por isso os médicos se recusavam a operá-lo.

O educador físico Eduardo Favaro indica que está ouvindo voz da mãe durante teste em Brasília (Foto: Reprodução)

"Conheci o dr. Fayez [Bahmad, otorrinolaringologista referência no mundo na área] e ele foi o único médico que me deu esperança e confiança em realizar o procedimento cirúrgico de implante coclear. Fiz a cirurgia no dia 19 de outubro e foi bem sucedida, tendo resposta de todos os 22 eletrodos, que são colocados dentro da cóclea. Fiz somente de um lado, o direito. Aguardei ansioso o período de cicatrização e no dia 17 de novembro fiz a ativação."

O educador físico conseguiu captar os sons já no primeiro momento. De acordo com o otorrinolaringologista Fayez Bahmad, o procedimento muda completamente a vida do paciente. A Organização Mundial da Saúde chegou a declarar que o implante coclear é a cirurgia que mais melhorou a qualidade de vida do ser humano.

"Eu entendi que sim, era possível ele voltar a ter uma audição normal através da cirurgia. É uma oportunidade para ele finalmente se conectar ao mundo e ter o potencial de qualquer cidadão."

"Ele tinha uma ossificação parcial do órgão auditivo. Isso, para muitas equipes cirurgias, era entendido como uma impossibilidade da operação", continou Bahmad. "Eduardo foi submetido a uma cirurgia para portadores de ossificação coclear. Foi desenvolvido um eletrodo especial ,foi feito todo um planejamento prévio, com desenvolvimento de um implante coclear específico para ele."

Publicação de educador físico em rede social traz foto com o otorrinolaringologista Fayez Bahmad, responsável pela cirurgia; em comentários, pessoas demonstram interesse em passar pelo procedimento (Foto: Facebook/Reprodução)

A cirurgia, segundo o otorrinolaringologista, dura entre duas e quatro horas. Em geral, os pacientes já podem ter alta no dia seguinte. A ativação do implante só ocorre após um mês, por causa da cicatrização. Não é necessário trocar o aparelho ao longo da vida.

O procedimento é bancado pelos planos de saúde e pelo SUS. O médico conta fazer 30 procedimentos do tipo por ano no Instituto Brasiliense de Otorrinolaringologia.

"[Agora o Eduardo] faz acompanhamento como fonoterapia. Imagina uma pessoa completamente surda. Agora, com o implante, é como um bebezinho aprendendo a ouvir. Ele precisa fazer fonoterapia para aprender a ouvir. Cada novo ruído é uma novidade. Ele vai aprender como canta o pássaro, como chora o bebê."

 

Bookmark and Share